Artigo -Nasce a fESSANTA

Em 15 de agosto é comemorado o Dia Nacional das Santas Casas, uma data que homenageia essas instituições de saúde, que desde 1543, quando foi inaugurada a primeira Santa Casa do Brasil, vêm tendo uma atuação primordial na assistência à população, principalmente a pacientes mais carentes, sem acesso a planos de saúde e longe de condições de arcarem com um atendimento particular.

A Santa Casa de Misericórdia de Goiânia orgulha-se de fazer parte dessa história há mais de 85 anos e de trabalhar incansavelmente, ao lado de outras Santas Casas e hospitais goianos, para garantir a sobrevivência da rede filantrópica de saúde do Estado.

E nesta segunda-feira, vamos dar mais um passo na luta pela sustentabilidade e a sobrevivência deste segmento que tem um papel fundamental no atendimento à população. Nesta data, será empossada a primeira diretoria da recém-criada Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado de Goiás, nossa FESSANTA.

A entidade, da qual tenho a honra de ter sido eleita presidente, nasce com o compromisso de representar e defender instituições filantrópicas de saúde da capital e do interior, que juntas somam mais de 1,5 mil leitos, realizam anualmente mais de meio milhão de consultas, mais de 100 mil internações, mais de 30 mil cirurgias e diversos outros procedimentos em todas as especialidades médicas, atendendo milhares de pacientes, a maioria deles 100% dependentes do Sistema Único de Saúde (SUS). Essas instituições ainda contribuem para a formação de novos profissionais de saúde e especialistas.

E nosso compromisso, independentemente das inúmeras e crescentes dificuldades financeiras que enfrentamos, é sempre oferecer uma assistência de qualidade, com segurança e humanizada, acolhendo e cuidando daqueles que confiam em nossos serviços.

A importância das Santas Casas e dos hospitais filantrópicos, nós, administradores, e nossos pacientes já conhecemos. Com a FESSANTA, esperamos mostrar a toda a sociedade e ao poder público que temos muito mais a fazer se contarmos com o apoio necessário, pois a determinação para bem atender está em nossa essência e não pode continuar sendo ameaçada pela falta de recursos.

Os desafios são grandes, mas o nosso compromisso com a saúde e com o bem-estar da população é maior.

*Irani Ribeiro de Moura é médica, superintendente Geral da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia e presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado de Goiás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.