Após atendimento, paciente presenteia Santa Casa com imagem do Sagrado Coração de Maria

Com arritmia cardíaca paciente realizou cirurgia na última terça-feira(12)

 

Com o quadro clínico de taquicardia paroxística supraventricular, mais popularmente conhecida como arritmia, a massoterapeuta e artesã Wanessa Souza Leite, de 37 anos, chegou à Santa Casa de Goiânia na última terça-feira (12) para realizar uma cirurgia cardíaca que aguardava há quase um mês.

Ela conta que o problema fazia seu coração bater a mais de 275bpm. “Descobri meu problema há um ano e sete meses. Estava sentada no sofá da minha casa quando meu coração disparou do nada. Fui levada para a Unidade de Pronto Atendimento de Rio Verde com batimentos a 280bpm, fiquei internada e fiz reversão cardíaca com adenosina. Essas crises se repetiram mais oito vezes, mesmo tomando medicamento. Tive de fazer repouso absoluto”, conta Wanessa.

Foram mais de duas horas de cirurgia e como reconhecimento e gratidão aos serviços prestados por toda equipe do hospital ela presenteou o Departamento de Cardiologia com uma imagem que ela mesma fez do Sagrado Coração de Maria. “Foram mais de 10 horas decorando a imagem. As pérolas foram coladas uma a uma, à mão. Essa foi a forma que encontrei de agradecer a todos do hospital. Fui muito bem tratada, conversei com pessoas humildes e, no mundo de hoje um atendimento público com a receptividade como tive merece aplausos. Obrigada por tudo”, concluiu Wanessa.

A Superintendente da Santa Casa, Irani Ribeiro, em nome de todos os funcionários do hospital agradeceu o presente. “Ficamos muito felizes, primeiro por saber que os nossos colaboradores estão dando o seu melhor aos nossos pacientes e, segundo, com a forma de gratidão que ela teve por nós. A imagem é a representação do agradecimento dela por ter ficado satisfeita com nossos atendimentos. Agradecemos muito pelo presente”, finalizou.

UTI da Santa Casa de Goiânia é equipada com 10 novos ventiladores mecânicos

Os equipamentos serão utilizados em pacientes graves e que necessitam de ajuda de aparelhos para sobreviver

A UTI da Santa Casa acaba de ganhar dez novos ventiladores mecânicos para modernizar o parque tecnológico da unidade. Os equipamentos serão utilizados em pacientes graves e que necessitam de ajuda de aparelhos para sobreviver. O Centro Cirúrgico do hospital realiza mais de 400 cirurgias por mês, incluindo cirurgias cardíacas e transplantes. Por serem procedimentos de alta complexidade, os pacientes necessitam ser direcionados após a cirurgia para a UTI e, por isso, a atualização dos equipamentos é essencial para que o procedimento seja realizado com qualidade e segurança.

O médico intensivista e superintendente técnico do hospital, Pedro Ivandosvick, a conquista representa apenas um dos demais investimentos que a gestão irá fazer em 2019. “Já houve época em que não realizamos cirurgias por falta do equipamento, mas agora a realidade é outra. Esses ventiladores vêm enriquecer o nosso parque de máquinas e estamos muito empolgados com essas e outras melhorias que estão sendo promovidas na UTI da Santa Casa”, completa.

A aquisição dos aparelhos foi realizada por meio de verbas de emendas parlamentares destinadas ao hospital, que atende mais de 4.400 pacientes ambulatoriais por mês e interna mensalmente cerca de 820 pacientes.

Entenda

A ventilação mecânica é uma das ferramentas mais importantes para a equipe multiprofissional no ambiente hospitalar, e é de extrema importância que os equipamentos sejam compatíveis com os diferentes quadros clínicos apresentados pelos pacientes.

Santa Casa de Goiânia: Pioneira no Centro-Oeste a realizar tratamento a laser para cálculo renal

Procedimento é feito exclusivamente em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS)

 

Equipe médica realizando procedimento a laser em paciente com cálculo renal pelo SUS

 

A partir de agora a Santa Casa de Goiânia vai realizar mensalmente cirurgias a laser para cálculo renal, em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).  O primeiro procedimento, chamado “ureterorrenolitotripsia flexível a laser”, foi feito no dia 26 de janeiro.

Esse método possibilita uma cirurgia minimamente invasiva, em que não são realizados cortes e provoca o mínimo de impacto sobre a rotina de quem o realiza. “Por ser minimamente invasiva, essa cirurgia oferece mais conforto ao paciente. Tanto a internação, quanto o processo operatório são mais rápidos e em torno de uma semana o operado já pode voltar a sua vida profissional e social normalmente”, explicou o médico Urologista José Dias.

Ainda segundo o médico, a nova tecnologia dará oportunidade de aprendizado aos alunos e residentes da Santa Casa. “É a primeira cirurgia dessa natureza realizada pelo SUS no Centro-Oeste. É um grande ganho para os nossos alunos e residentes e para os pacientes da rede pública de saúde, que podem contar com tecnologia de ponta e profissionais altamente treinados para realizar a cirurgia, sem custos”, concluiu José Dias.

Estima-se que uma entre 10 pessoas vai apresentar pedras nos rins ou nos ureteres pelo menos uma vez até chegar aos 70 anos de idade. A formação pode ser consequência de herança genética e também está ligada a hábitos de vida pouco saudáveis como o excesso de ingestão de sal e alimentos gordurosos, em contrapartida da baixa ingestão de líquidos.  Pacientes com cálculos renais apresentam fortes dores nas costas e em toda a região abdominal. Em alguns casos há, ainda, dificuldade para urinar.

De acordo com o setor de Urologia do hospital será realizada até duas cirurgias por mês e o paciente será selecionado de acordo com a necessidade do procedimento. “Firmamos uma parceria com a empresa Handle que irá nos emprestar o equipamento. Agora a cada mês vamos selecionar até dois pacientes para realizarmos a cirurgia e oferecer a ele qualidade de vida”, explicou o médico residente Rogério Menezes.

Participaram desse procedimento os médicos José Dia Neto, Felipe Dias, Marco Aurélio, Thiago Machado, Guilherme David, Rogério Menezes, Tiago Moares, Luis Kleber e João Ernesto.

Hospital vai realizar até duas cirurgias por mês

Entenda

Ureterorrenolitotripsia flexível a laser  é um procedimento endoscópico para visualização interna do ureter e rim. Os ureteroscópios são os aparelhos destinados a este fim, podem ser rígidos ou flexíveis. Eles apresentam canais de trabalho em seu interior, por onde se pode introduzir fibras de laser, extratores de cálculos e também pinças.

A ureteroscopia flexível é o método que permite acessar cálculos em posição mais superior no ureter e também no rim, com altos índices de sucesso. Como se trata de procedimento endoscópico, não há incisões. A introdução do instrumento se faz através de um orifício natural, a uretra. A fibras de laser permite reduzir os cálculos a pequenos fragmentos que serão eliminados espontaneamente ou podem ser retirados durante a cirurgia. Ao final do procedimento é instalado um cateter, através do ureter a fim de evitar dor e desconforto. Este cateter permanece por alguns dias e depois é retirado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Governador, Secretário de Saúde e equipe do Hospital de Amor visitam Santa Casa

Visita aconteceu nesta terça – feira (29), e teve como objetivo a troca de experiências entre as instituições

 

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, acompanhado do secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, e do diretor presidente do Hospital de Amor (Hospital do Câncer de Barretos), Henrique Prata, visitaram nessa terça-feira (29), a Santa Casa de Misericórdia de Goiânia. Essa foi a primeira visita dos gestores à unidade, referência regional como maior unidade de saúde de caráter filantrópico no tratamento de média e alta complexidade médica.

Os superintendentes da unidade, Irani Ribeiro, Irondes Morais e Pedro Ivandosvick recepcionaram as autoridades na unidade, apresentando a estrutura física do hospital e enumerando os serviços ofertados. Após conhecer o funcionamento da Santa Casa, o governador frisou que não se faz medicina visando ganhar dinheiro. “Medicina se faz com viés humanitário e respeito à vida, comprometida com a boa qualidade da medicina e com resultados”, disse.

Referência no tratamento humanizado ao câncer, o Hospital de Amor, realiza cerca de 18 mil consultas clínicas anuais. São realizadas em torno de 2.400 cirurgias/ano e recebem pacientes de todos os estados do País. “Trouxe minha equipe para apresentar nossa atuação lá em Barretos e nos colocamos a disposição de toda a equipe de saúde goiana para implementar ações estratégicas com redução de custos e melhoria na oferta dos atendimentos”, afirmou Prata.

Para a Santa Casa a troca de experiências é fundamental para desempenhar um trabalho de qualidade. “Essa foi a oportunidade de mostrar a Santa Casa, o que caminhamos, e mostrar que nós podemos oferecer ainda mais leitos para o Estado que está precisando tanto”, disse a Superintendente Geral da Santa Casa, Irani Ribeiro.

Crédito das imagens: Erus Jhenner

 

Janeiro Branco: Palestra estimula colaboradores a cuidar da saúde mental

‘Essa é uma excelente oportunidade para identificar as próprias emoções’, afirma psicóloga

Com o tema “Como está sua saúde mental?”, os setores de Voluntariado e Equipe Multiprofissional promoveram na manhã de hoje (25), uma palestra voltada para a campanha ‘Janeiro Branco’, na Santa Casa. A programação contou com a participação da psicóloga Cristiane Soto Machado, que trouxe aos colaboradores orientações e reflexões sobre a importância de cuidar da saúde mental.

“ A campanha nada mais é que convidar as pessoas a pensarem sobre suas vidas, o sentido e o propósito, a qualidade dos seus relacionamentos e o quanto  elas conhecem sobre si mesmas, suas emoções, seus pensamentos e sobre os seus comportamentos. Essa é uma excelente oportunidade para identificar as próprias emoções”, explica Cristiane.

Campanha ‘Janeiro Branco’

Iniciada em 2014, em Minas Gerais, a Campanha ‘Janeiro Branco’ faz com que milhares e milhares de pessoas passam a receber informações e a ser incentivadas a pensarem em suas qualidades emocionais de vida — o que, com certeza, contribui para uma cultura da Saúde Mental na humanidade!

 

Grupos de Humanização levam alegria aos pacientes da Santa Casa de Goiânia

Vestidos de palhaços, eles levantaram o astral dos pacientes no hospital

Rir é o melhor remédio? Se você respondeu sim a esta pergunta, então você merece comemorar o dia 18 de janeiro. Com tantos benefícios que o riso traz para a saúde física e mental do indivíduo, o setor de Psicologia da Santa Casa de Goiânia celebra a data com ações que promovam a alegria dos pacientes.

“Nosso intuito é trazer um pouco de descontração aos pacientes e visitantes reforçando o quanto o humor e o bem – estar ajudam na blindagem da imunidade da pessoa”, explica o psicólogo Roberto Ribeiro.

Em comemoração ao dia do riso, o hospital recebeu a Turma Doutores do Amor Maior e Semeadores da Alegria que levaram o riso aos pacientes. Em ambos os casos, foram realizados alguns momentos de reflexão de forma alegre nos leitos do hospital, que tiveram como objetivo promover o bom humor e momentos de descontração com os pacientes.

Riso como terapia

Muitos profissionais de saúde concordam quando é um recurso terapêutico com eficácia comprovada. O riso mexe com várias partes do corpo ao mesmo tempo, como cérebro, garganta, coração, tórax, pernas, pés, além de movimentar até 80 músculos. Segundo estudos, essa é uma das melhores formas de expressar a felicidade que traz benefícios como retardar o aparecimento de rugas durante o processo de envelhecimento. Além disso, ajuda a reduzir o stress, promove a queima calórica, melhora a qualidade do sono, fortalece o abdômen, melhora a circulação sanguínea, a respiração e a digestão, fortalece o sistema imunológico, estimula a criatividade e induz a criação de laços entre as pessoas. Além disso, podemos ter uma influência positiva no combate a algumas doenças e até beneficiar o organismo. Através do riso é estimulada a produção de endorfinas que diminui ou previne a dor, diminui pressão sanguínea, diminui doenças cardíacas, diminui hormônios do estresse e consequentemente, o estresse.

Voluntariado da Santa Casa comemora um ano

Programa tem como objetivo integrar a humanização do hospital

O dia 16 de janeiro foi marcado pela comemoração do primeiro ano de existência do Voluntariado da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia. Voluntários, funcionários, superintendentes do hospital e coordenadores de instituições parceiras compareceram à confraternização.

O momento contou com depoimentos dos voluntários, música, parabéns e bolo. “Nos reunimos para celebrar e agradecer a Deus pela missão que nos foi dada. Ser voluntário é dispor de tempo, trabalho e amor ao próximo sem esperar nada em troca. É ter como benefício a sensação do dever cumprido”, comentou o coordenador e Psicólogo Roberto Ribeiro.

 

O setor de Voluntariado foi criado para viabilizar um atendimento mais humanizado aos pacientes, se valendo da ajuda de pessoas da comunidade interessadas em doar, sobretudo, tempo e atenção aos que se recuperam no hospital.

A superintendente – geral do hospital, Irani Ribeiro, enfatizou a alegria de poder comemorar o primeiro  aniversário do projeto. “Esse é um programa que aprofunda as relações humanas e não demanda que a pessoa tenha muito tempo disponível, basta ter vontade de fazer o bem. Apesar das dificuldades, a iniciativa do Voluntariado da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia nos dá ânimo para seguir com nossa luta. Só tenho a agradecer”, disse.

Para o superintendente – administrativo, Irondes Morais, celebrar um ano do trabalho do Voluntariado é sem dúvida um momento de muita alegria. “Me sinto muito grato em fazer parte da história do Voluntariado que cumpre lindamente o papel de ajudar no cuidado humano ao paciente. É gratificante ver os voluntários presentes no dia a dia do hospital alegrando e auxiliando quem mais precisa”, comemora.

Além de coordenar as visitas dos filantropos aos leitos, o Voluntariado realiza sistematicamente ações de captação de recursos e suprimentos básicos doados a pacientes, como fraldas descartáveis, escovas dentais e outros itens de higiene pessoal.

Sua ajuda é muito bem-vinda

Pode se candidatar ao Voluntariado qualquer pessoa maior de 18 anos. Antes de entrar para o quadro de voluntários, os interessados precisam passar por um curso de formação.

Mais informações

Quer fazer parte dessa corrente do bem? Seja um voluntário da Santa Casa. Para mais informações, ligue (062) 3254-4229, ou pelo e-mail voluntariado@santacasago.org.br e ainda diretamente na Sala do Voluntariado, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação | SCMG

 

 

Santa Casa de Misericórdia de Goiânia recebe medicamentos para o tratamento de Hemodiálise

Mais de 50 pacientes renais crônicos são atendidos pela instituição

Medicamentos serão destinados para o tratamento de hemodiálise

A Santa Casa de Misericórdia de Goiânia recebeu, na manhã desta segunda – feira (14), um carregamento de medicamentos que serão destinados para o tratamento de hemodiálise. O objetivo do hospital é proporcionar uma saúde de qualidade para os pacientes.

“A presença desses medicamentos é imprescindível, já que a falta deles inviabiliza o tratamento dos pacientes. E não vamos parar por aí, este ano estamos buscando mais investimentos, que é uma das prioridades da minha gestão”, ressaltou a Superintendente – Geral da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia, Irani Ribeiro.

O serviço que trata a linha renal (rins) dentro do hospital é a área de nefrologia. Por meio dela são oferecidas sessões dialíticas – hemodiálise – ambulatório e internação. Atualmente a nefrologia atende mais de 50 pacientes crônicos e agudos.

De acordo com a médica nefrologista, Maria Inês de Freitas, que integra o Departamento de Nefrologia, os medicamentos recebidos são importantes porque muitos deles são utilizados para preparo da sessão de diálise do paciente, ou seja, é utilizado na máquina responsável por filtrar o sangue do paciente através de um filtro dialisador”, explica Dra Maria Inês.

Ainda segundo a médica, o objetivo da diálise é substituir a função do rim que por algum motivo não está sendo realizada. “Para chegar nesse ponto, o rim está funcionando apenas 10% ou até menos, situação esta, incompatível com a vida. Então, é necessário a utilização de outros métodos de substituição dessa função renal, que pode ser hemodiálise, quando filtra o sangue através de um filtro dialisador e devolve para o paciente”, conclui a médica.

Máquinas Novas

A Santa Casa de Misericórdia de Goiânia já conta com oito novas máquinas de hemodiálise em funcionamento. Os equipamentos foram comprados com recursos liberados através de emenda parlamentar.

Oito novas máquinas de hemodiálise

As novas máquinas são mais seguras e modernas e ajudaram a ampliar o setor. “No mês de Dezembro, a nefrologia do hospital realizou, 779 sessões de hemodiálise. O tratamento é feito, normalmente, três vezes por semana e cada sessão tem duração média de quatro horas”, explica a médica nefrologista, Maria Inês de Freitas.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação | SCMG

 

Santa Casa de Misericórdia se reúne com novo secretário de Saúde

Encontro aconteceu nesta quarta-feira (09) e teve como objetivo projetar os trabalhos de 2019

A superintendência da Santa Casa de Misericórdia de Goiânia esteve, nesta quarta-feira (09), em reunião com o novo secretário de Saúde, Ismael Alexandrino. Na oportunidade, foram traçados os planos de atuação para o ano, além de fortalecer a parceria entre as instituições.

“Quando assumi a Santa Casa, me deparei com vários problemas. Agora, com tudo sendo organizado entrando no eixo, podemos projetar as ações de sucesso para 2019. A Secretaria de Saúde é apoio importantíssimo para nossas realizações”, disse a superintendente geral, Irani Ribeiro.

Ismael Alexandrino, que traz como experiência a direção do Instituto Hospital de Base (IHB), prospecta na instituição uma parceria de sucesso, que tem como foco o melhor atendimento prestado ao cidadão. “Eu vou visitar o hospital em breve e, pra mim, é muito claro entender essa parceria em como a Santa Casa vai nos ajudar e como o Estado vai ajudar a Santa Casa”.

Para o superintendente financeiro da Santa Casa, Irondes José de Morais, boas expectativas não faltam para que a Santa Casa tenha ainda mais atenção das autoridades e da comunidade. “Para que exista a evolução das coisas, é preciso que haja uma compatibilidade de ideias. Estamos muito felizes com o nível de compreensão e disposição para trabalhar, seriamente, com essa gestão”.