Santa Casa de Goiânia: Pioneira no Centro-Oeste a realizar tratamento a laser para cálculo renal

Procedimento é feito exclusivamente em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS)

 

Equipe médica realizando procedimento a laser em paciente com cálculo renal pelo SUS

 

A partir de agora a Santa Casa de Goiânia vai realizar mensalmente cirurgias a laser para cálculo renal, em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).  O primeiro procedimento, chamado “ureterorrenolitotripsia flexível a laser”, foi feito no dia 26 de janeiro.

Esse método possibilita uma cirurgia minimamente invasiva, em que não são realizados cortes e provoca o mínimo de impacto sobre a rotina de quem o realiza. “Por ser minimamente invasiva, essa cirurgia oferece mais conforto ao paciente. Tanto a internação, quanto o processo operatório são mais rápidos e em torno de uma semana o operado já pode voltar a sua vida profissional e social normalmente”, explicou o médico Urologista José Dias.

Ainda segundo o médico, a nova tecnologia dará oportunidade de aprendizado aos alunos e residentes da Santa Casa. “É a primeira cirurgia dessa natureza realizada pelo SUS no Centro-Oeste. É um grande ganho para os nossos alunos e residentes e para os pacientes da rede pública de saúde, que podem contar com tecnologia de ponta e profissionais altamente treinados para realizar a cirurgia, sem custos”, concluiu José Dias.

Estima-se que uma entre 10 pessoas vai apresentar pedras nos rins ou nos ureteres pelo menos uma vez até chegar aos 70 anos de idade. A formação pode ser consequência de herança genética e também está ligada a hábitos de vida pouco saudáveis como o excesso de ingestão de sal e alimentos gordurosos, em contrapartida da baixa ingestão de líquidos.  Pacientes com cálculos renais apresentam fortes dores nas costas e em toda a região abdominal. Em alguns casos há, ainda, dificuldade para urinar.

De acordo com o setor de Urologia do hospital será realizada até duas cirurgias por mês e o paciente será selecionado de acordo com a necessidade do procedimento. “Firmamos uma parceria com a empresa Handle que irá nos emprestar o equipamento. Agora a cada mês vamos selecionar até dois pacientes para realizarmos a cirurgia e oferecer a ele qualidade de vida”, explicou o médico residente Rogério Menezes.

Participaram desse procedimento os médicos José Dia Neto, Felipe Dias, Marco Aurélio, Thiago Machado, Guilherme David, Rogério Menezes, Tiago Moares, Luis Kleber e João Ernesto.

Hospital vai realizar até duas cirurgias por mês

Entenda

Ureterorrenolitotripsia flexível a laser  é um procedimento endoscópico para visualização interna do ureter e rim. Os ureteroscópios são os aparelhos destinados a este fim, podem ser rígidos ou flexíveis. Eles apresentam canais de trabalho em seu interior, por onde se pode introduzir fibras de laser, extratores de cálculos e também pinças.

A ureteroscopia flexível é o método que permite acessar cálculos em posição mais superior no ureter e também no rim, com altos índices de sucesso. Como se trata de procedimento endoscópico, não há incisões. A introdução do instrumento se faz através de um orifício natural, a uretra. A fibras de laser permite reduzir os cálculos a pequenos fragmentos que serão eliminados espontaneamente ou podem ser retirados durante a cirurgia. Ao final do procedimento é instalado um cateter, através do ureter a fim de evitar dor e desconforto. Este cateter permanece por alguns dias e depois é retirado.